Quando a reciclagem de computadores significa sucata

Até duas semanas atrás, eu acreditava que nosso conselho local dava computadores usados ​​a organizações para reutilização e reciclagem. Baseei essa crença no site da Barnet, http://www.barnet.gov.uk/ que afirma que os equipamentos informáticos e de home office – e passo a citar – “são recolhidos por organizações para reutilização e reciclagem”.

No entanto, essa não foi minha experiência quando levei um dos muitos refugos de PC da família para ser reciclado – ou assim pensei. Se eu imaginava que ajudaria uma vila pobre na África ou algum outro lugar quente demais para ser mencionado, estava enganado.

Pois enquanto me dirigia para a esquina onde terminam tantos de nossos refugos tecnológicos, pude ouvir claramente, à distância, o som inconfundível de um homem.

“Jogue na sucata mate”.

Virei-me com toda a dignidade que um homem carregando um computador de mesa pode ter e salientei que acreditava que a política do conselho era reciclar computadores usados.

“Não, cara. As pessoas continuam colocando-os no chão com os eletrônicos, mas nós apenas os jogamos na sucata de qualquer maneira”.

Eu concordei e fiz uma nota mental para verificar esse ‘fato’ com a autoridade local, que parece estar se esforçando tanto para reduzir o desperdício. E eu fiz isso, e estou esperando uma resposta ao e-mail desta noite. Enquanto jogava este pedaço de ‘sucata’ na caçamba gigante, ponderei sobre o fato de que, há tão poucos anos, um equipamento incrivelmente complexo e inteligente como este teria sido o bem de alguém, provavelmente pertencente a uma empresa privada e definitivamente custando milhares. Mas mesmo por esse dinheiro eu não poderia ter adquirido um, pois o melhor do mercado nem era tão rápido, apenas alguns anos atrás.

Hoje, esse item simplesmente não é bom o suficiente, nem vale a pena ser picado para outra pessoa lidar.

Do jeito que as pessoas por aqui se comportam, você pensaria que existem muitos computadores no mundo, mas de acordo com a Computer Aid International, uma instituição de caridade que distribui PCs para o mundo em desenvolvimento ([http://www.computuraid.org/] )

“A divisão digital que existe atualmente entre os países desenvolvidos e em desenvolvimento é enorme. A última pesquisa do Banco Mundial mostra que há 5 ou menos computadores por 1.000 pessoas na grande maioria dos países da África Subsaariana. Este número também se aplica ao Sul subcontinente asiático.”

Aqui no Reino Unido, bem mais da metade dos lares tem pelo menos um PC, mais do que no nosso.

Existe uma ligação entre nossa atitude em relação à tecnologia usada e nossa atitude em relação a tudo ao nosso redor? Acredito que sim, mas isso é outro assunto para outro dia.

Aliás, o Conselho parece estar fazendo alguma coisa com os monitores. Eu vi estes carregados em um palete a uma taxa bastante. É muito difícil para eles acompanhar o número que chega.

Deixe um comentário